Informação de produto

Informação de produto

Brevis - Adama


O Brevis® representa uma extraordinária inovação para a monda na macieira. A sua formulação exclusiva foi desenvolvida para garantir uma correta aplicação sobre macieiras após a floração, momento fundamental na resposta produtiva da planta. 


O Brevis® não é uma hormona para monda, não altera os processos hormonais nem fisiológicos da planta e atua através da inibição temporária da fotossíntese. Esta característica faz da Brevis® um produto diferente de outros produtos de monda. Pode ser empregado num amplo intervalo de temperaturas e não produz frutos com deformações nem frutos pigmeus.

Brevis® é uma fórmula de grânulos solúveis (SG), que utiliza um nutriente-chave para a macieira, o cálcio, como coformulante em forma de formiato de cálcio.


Este produto interfere no processo fotossintético da planta nos dias seguintes à sua aplicação, reduzindo mais de 60% o transporte cíclico de eletrões no fotossistema II de maneira temporária, ao longo de um período máximo de três semanas. Durante este intervalo de pressão, a absorção da luz é interrompida e a menor disponibilidade de hidratos de carbono dá lugar à queda natural dos frutos. Em geral, a queda dos frutos laterais do ramalhete é realizada enquanto o fruto central, o maior fruto no corimbo, se mantém na planta.


Brevis® mostrou-se mais eficaz do que os melhores padrões do mercado nos mais de 300 ensaios levados a cabo em diferentes pontos do planeta, onde se contou com o apoio dos principais especialistas do mundo a nível de monda. A sua menor dependência dos fatores ambientais e a possibilidade de um segundo tratamento demostram a grande flexibilidade deste produto.


No ano de 2015, Brevis® foi incluído no Registo de Produtos Fitofarmacêuticos de Espanha para a sua aplicação na macieira, sendo a dose recomendada de 1,1 – 1,65 kg/ha, com um máximo de duas aplicações por ano, e empregando um volume de pulverização de 1000 l/ha. Recomenda-se realizar a aplicação quando o fruto central alcançar um diâmetro de 8-10 mm; se necessário, poderá ser realizado um segundo tratamento com 12-14 mm de diâmetro e um intervalo de 5-10 dias entre as duas aplicações. Em caso algum podem ser realizadas aplicações com frutos de tamanho superior a 16 mm.


O nível de monda alcançado está relacionado com a dose aplicada e com as condições meteorológicas; caso o tempo esteja nublado durante uma semana após a aplicação com doses elevadas, a monda pode ser excessiva. Da mesma forma, com a aplicação de doses elevadas de Brevis®, por vezes, podem verificar-se descolorações ou necrose nas bordas das folhas, o que não afeta de forma alguma o rendimento da produção.

 

expandable image brevis
Fechar

Porquê usá-lo?

Porquê usá-lo?

Benefit 1

Benefit 2

Benefit 3

INTER SECTION IMAGE

A monda na macieira

A monda na macieira

about fruit thinning

    A monda na macieira é uma importante prática cultural, que tem um notável impacto económico sobre a produção, a qualidade e o calibre dos frutos de que o mercado necessita.  


Uma monda eficaz garante um bom retorno floral para o ano seguinte, evitando posteriormente a alternância, além de reduzir as necessidades de monda manual ou outras ações dirigidas a regular o arvoredo. O número excessivo de frutos com sementes é responsável pela alternância nas produções devido à produção de giberelinas, que estimulam o crescimento, inibindo a diferenciação dos botões florais.


Graças à monda, é também possível produzir maçãs de qualidade, com um tamanho e qualidade adequados, dependendo da variedade, a fim de maximizar as receitas e reduzir as despesas.


A monda pode ser resumida em quatro etapas: 

  •  Redução do número de flores. 
  • Eliminação de frutos pequenos após vingamento. 
  • Queda natural (durante o mês de junho). 
  • Monda manual por parte dos fruticultores, algumas semanas antes da colheita, para eliminar frutos deformados ou com algum tipo de alteração.

Atualmente, os produtos normalmente usados no mercado durante a floração ou após a mesma são o tiossulfato de amónio (ATS) ou o ácido naftilacetamida (ANA Amida), além de outros produtos destinados a ser utilizados quando o fruto é pequeno (entre 10 e 14 mm de diâmetro), como a 6-benziladenina (6-BA) e o ácido naftilacético (ANA).


Tiossulfato de amónio (ATS)

Os produtos formulados a partir desta substância, por sua vez pertencentes à categoria de fertilizantes foliares, são sais que contêm nitrogénio e enxofre. Este último elemento químico caracteriza-se por desenvolver um mecanismo de ação baseado no efeito fitotóxico sobre as flores por fertilizar, que causam a sua secagem. O tiossulfato de amónio aplica-se, normalmente, uma ou duas vezes em floração e a temperaturas favoráveis (entre 18 e 22°C). Considera-se que o momento ótimo de uso é o que coincide com a queda das pétalas da flor central. Em alguns casos, as condições de humidade elevada podem afetar a ação do produto, ao mesmo tempo que as aplicações com folhas molhadas ou anteriores a um período de chuvas podem provocar queimaduras das folhas. Não se recomenda o seu uso sob temperaturas de 15° C. Por outro lado, recomenda-se a utilização em variedades como Fuji e Red Delicious devido à impossibilidade de utilizar ANA.


Naftilacetamida (ANA Amida)

As diferentes hormonas vegetais que contêm naftilacetamida pertencem à classe de análogos sintéticos das auxinas. O seu efeito de monda, geralmente de taxa média, deve-se à interferência no transporte de assimilados, dos rebentos aos frutos, o que causa a morte das sementes e, consequentemente, a queda antecipada de uma parte dos frutos.
O seu uso é recomendado de forma geral, desde a queda das pétalas, até que o tamanho do fruto central alcance 5-7 mm de diâmetro, com temperaturas superiores a 12°C e em condições de alta humidade. A aplicação tardia deste produto provoca o efeito contrário, uma vez que pode aumentar o vingamento do fruto. Diversos guias técnicos desaconselham a sua utilização em determinadas variedades de maçã, como Fuji ou Red Delicious, enquanto que se recomenda o uso em maçã Gala, exceto nos casos de plantas jovens ou em doses altas, que possam causar a formação de frutos pigmeus.

6-Benziladenina (6-BA)

Os produtos desta categoria são citoquininas sintéticas, hormonas vegetais que estão envolvidas em vários processos metabólicos da planta. Um aumento de 6-BA tem o efeito de promover os jovens frutos de maçã mediante a produção endógena de etileno. Estas mudanças no metabolismo das plantas causam um aumento da queda dos frutos de forma natural.
Este tipo de produtos aplica-se, geralmente, uma ou duas vezes em frutos com calibre de 10-14 mm de diâmetro, dependendo dos requisitos. Um uso em diâmetros superiores pode causar a formação de frutos especialmente pigmeus em Fuji e Red Delicious. Os produtos com 6-BA são muitas vezes misturados, para a maioria de variedades, com fórmulas que contêm ANA, a fim de se obter uma ação mais consistente. Os diferentes guias técnicos recomendam, como condições ideais de aplicação, temperaturas entre 18 °C e 25 °C e uma humidade superior a 50%. Temperaturas mais baixas costumam reduzir a eficácia. 
As citoquininas também estimulam a divisão celular; portanto, podem facilitar um aumento do tamanho dos frutos.


Ácido naftilacético (ANA)

Esta auxina, reguladora de crescimento da planta, é utilizada, principalmente, para aumentar a eficiência da monda com 6-benciladenina. O efeito do ANA sobre a monda deve-se à interferência sobre o transporte de assimilados, dos rebentos aos frutos, o que causa a morte das sementes e a queda antecipada dos frutos.
O emprego de doses altas pode provocar a formação de frutos pigmeus. Geralmente, as aplicações são realizadas quando os frutos têm um diâmetro entre 10 mm e 15 mm. Aconselha-se a aplicação com temperaturas entre 15-20ºC; em caso de temperaturas superiores a 20ºC, é necessário reduzir a dose.


Monda manual

Se a monda química proporcionar resultados adequados, a monda manual será uma prática necessária apenas para melhorar a posição de alguns frutos na planta e para eliminar os frutos que possam ter ficado marcados por doenças causadas por fungos e insetos, e por danos por fricção de diferentes tipos. Caso tenham sido usados produtos que possam ter a contraindicação de deformar maçãs, também estes devem ser eliminados à mão.
A monda manual pré-colheita deve demorar algumas horas por hectare. Na maioria dos casos, no entanto, a ação de monda dos vários produtos e estratégias utilizadas não consegue garantir ação suficiente e, após a queda fisiológica de junho, os produtores de maçãs estão obrigados a realizar uma importante monda manual que, em muitos casos, pode precisar de mais de 300 horas por hectare.
 

 

about fruit thinning learn more
Fechar

A origem do nome e o seu significado

Brevis® significa, em latim, "curto, breve". Este nome faz referência à atividade limitada de Brevis® (ao longo de um máximo de 3 semanas) e ao curto prazo em matéria de segurança, duas características fundamentais do produto.
“Less is more”, literalmente “menos é mais”, faz referência ao menor número de frutos, graças a uma eficaz ação de monda, o que significa uma melhor produção, mais qualidade e maximização de receitas.


O projeto Brevis® nasce da atividade do Centro de Investigação de Frutas de Jork (Alemanha), entre os anos 2002 e 2005. Investigadores alemães trabalharam, durante esse período, na forma de redução da disponibilidade de fotoassimilados na planta e em como esta afetava a queda de frutos, tendo em conta que determinados herbicidas pertencentes à família das triazinonas, como o metamitrão, são capazes de bloquear o transporte de eletrões durante a fotossíntese.


A excelente atividade mostrada por Brevis® sobre a inibição da fotossíntese fez com que fosse um produto visto como ferramenta para monda de frutos. Os resultados obtidos na estação de Jork foram muito positivos: a eficácia de Brevis® foi superior à de muitos produtos de monda, incluindo do composto químico carbaril. Os resultados foram apresentados numa tese de doutoramento apresentada na Universidade de Hamburgo, em 2005. Foi logo em 2006 que se deu início à preparação de uma formulação especial para Brevis®.


O desenvolvimento de Brevis® começa na Adama, em 2007. Começámos a investir recursos e a adquirir experiência desenvolvendo progressos na formulação e realizando vários testes em muitas variedades e em diferentes países em que o cultivo de maçãs é muito alargado. Isso permitiu-nos testar Brevis® em diferentes condições agronómicas e climáticas em toda a Europa, incluindo Espanha. Ao mesmo tempo, o nosso departamento de registo realizou os estudos necessários para preparar o registo de Brevis® para ser apresentado às autoridades competentes na Europa e de outros países do mundo.


Brevis® é o resultado de uma estreita colaboração da Adama com vários consultores, institutos de investigação e agricultores de toda a Europa e do resto do mundo. No caso de Espanha, o trabalho foi realizado em estreita colaboração com o IRTA (Institut de Recerca i Tecnològica Agroalimentaria), o que confirma a nossa ambição de trabalhar com o agricultor e os que trabalham com ele no centro das nossas preocupações.


Em 2015, depois de oito anos de trabalho árduo, e graças à paixão que colocámos em tudo o que fizemos, estamos em condições de oferecer um produto para os fruticultores de maçã que facilita a monda eficaz e eficaz da maçã: Brevis®.


A nossa ambição é tornar mais fácil a técnica de monda, reduzir os custos e o tempo necessário para esta operação, e obter frutos de mais qualidade e mais valor no mercado.


Brevis® está já registado em vários países europeus. O registo fora da Europa deverá verificar-se dentro de um a três anos.

history

history2

Perguntas frequentes

Perguntas frequentes

Por que motivo é necessária a monda?

Uma monda eficaz garante um bom retorno floral para o ano seguinte, evitando a alternância, além de reduzir as necessidades de monda manual ou outras ações dirigidas a regular o arvoredo. O número excessivo de frutos com sementes é responsável pela alternância nas produções devido à produção de giberelinas, que estimulam o crescimento, inibindo a diferenciação dos botões florais.


Graças à técnica de monda, é possível produzir uma maçã de qualidade, com um calibre e uma coloração adequadas à variedade.

Quais os benefícios de uma monda eficaz?

Regular a carga de frutos é essencial para qualquer fruticultor, dado o impacto económico que este implica do ponto de vista da produção, da qualidade e do calibre de que o mercado necessita.

O que é Brevis®?

Brevis® é um produto com uma fórmula especial, desenvolvida para obter uma monda de qualidade na maçã. Deve ser aplicado após o vingamento dos frutos, sendo uma ferramenta indicada para aquelas variedades de monda difícil e para quaisquer condições ambientais.

Como funciona o Brevis®?

O Brevis® interfere no processo fotossintético da planta nos dias seguintes à sua aplicação, reduzindo mais de 60% o transporte cíclico de eletrões no fotossistema II de maneira temporária, ao longo de um período máximo de três semanas. Durante este intervalo de pressão, a absorção da luz é interrompida e a menor disponibilidade de hidratos de carbono dá lugar à queda natural dos frutos. Em geral, a queda dos frutos laterais do ramalhete é realizada enquanto o fruto central, o maior fruto no corimbo, se mantém na planta.

Qual é a origem de Brevis®?

O projeto Brevis® nasce da atividade do Centro de Investigação de Frutas de Jork (Alemanho), entre os anos 2002 e 2005. Investigadores alemães trabalharam, durante esse período, na forma de redução da disponibilidade de fotoassimilados na planta e em como esta afetava a queda de frutos.

Os resultados obtidos na estação de Jork foram muito positivos: a eficácia de Brevis® foi superior à de muitos produtos de monda, incluindo do composto químico carbaril. Estes resultados foram apresentados numa tese de doutoramento apresentada na Universidade de Hamburgo, em 2005.

O desenvolvimento de Brevis® começa na Adama, em 2007. Começámos a investir recursos e a adquirir experiência desenvolvendo progressos na formulação e realizando vários testes em muitas variedades e em diferentes países em que o cultivo de maçãs é muito alargado. Isso permitiu-nos testar Brevis® em diferentes condições agronómicas e climáticas em toda a Europa, incluindo Espanha.

O que significa Brevis®?

Brevis® significa, em latim, "curto, breve". Este nome faz referência à atividade limitada do Brevis® (ao longo de um máximo de três semanas) e ao curto prazo em matéria de segurança, duas características fundamentais do produto.

Quais as vantagens de Brevis®, em comparação com os padrões do mercado?

Brevis® mostrou-se mais eficaz do que os melhores padrões do mercado nos mais de 300 ensaios levados a cabo em diferentes pontos do planeta, onde se contou com o apoio dos principais especialistas do mundo a nível de monda. A sua menor dependência dos fatores ambientais e a possibilidade de um segundo tratamento demostram a grande flexibilidade deste produto.
Brevis® pode ser utilizado em todas as variedades de maçã cultivadas.

O que torna o Brevis® único?

O Brevis® maximiza, mais do que qualquer outro produto, o benefício dos produtores de maçã, uma vez que oferece uma combinação de vantagens relacionadas com a eficácia, a seletividade e a qualidade da produção. O Brevis® difere dos produtos de uso comum para a monda, que se baseiam na atividade hormonal da planta. Este produto tem um perfil toxicológico excelente e não deixa resíduos na fruta.

Como se aplica Brevis®?

A absorção realiza-se através das folhas, motivo pelo qual Brevis® deve ser aplicado com pulverizadores adequados. Não é necessário repetir o tratamento se chover após a aplicação, desde que tenham passado, pelo menos, 2 ou 3 horas desde a sua aplicação.

faq extra image
Fechar