Drone sobre lavoura de algodão

Inteligência artificial na agricultura: quais são as principais funcionalidades?

O uso da tecnologia no campo está crescendo exponencialmente, fazendo a diferença na gestão e na lucratividade das propriedades. Drones, máquinas autônomas, equipamentos de precisão, sistemas de monitoramento… Parece coisa do futuro, mas essa é a atual realidade da inteligência artificial na agricultura.
Drone sobre lavoura de algodão

Da simples automação de tarefas até o aprendizado da máquina, as possibilidades dentro da agricultura são diversas, e muitos produtores já estão se beneficiando dessas facilidades. Se você quer conhecer um pouco mais sobre o assunto, chegou a hora de ficar por dentro das possibilidades tecnológicas para o campo!

Qual é a importância da tecnologia na agricultura?

A agricultura tem, na tecnologia, uma grande aliada. Afinal, esse é um recurso importante para alcançar vantagens competitivas, seja no controle de pragas, na otimização da produção ou, mesmo, no desenvolvimento de estratégias de compra de insumos e comercialização de produtos.

A agricultura digital, como também é conhecida, inclui tecnologias como a internet das coisas (IoT) e inteligência artificial (IA). Seu papel está diretamente associado à automatização de processos, à redução de perdas e danos na produção, bem como à ampliação da lucratividade para o produtor.

Por tantos benefícios, esse recurso está em constante expansão no setor. De acordo com a empresa Analytics Insights, no ano de 2017, o mercado de inteligência artificial na agricultura foi avaliado em mais de US$ 540 milhões. A previsão é de que, até 2024, esse número alcance os US$ 2 bilhões.

Além disso, o mercado de tecnologia na agricultura esteve em expressivo crescimento ao longo dos últimos 10 anos. Desde 2015, US$ 6,7 bilhões foram investidos, sendo US$ 1,9 bilhão só de 2019 a 2020. O foco das aplicações esteve no desenvolvimento de cultivos verticais de inverno, práticas de estufa, agricultura de precisão, automação e robótica, inteligência artificial e blockchain.

Qual é o papel da inteligência artificial nessa área?

Apesar de já estar presente em diversos outros setores, a inteligência artificial na agricultura ainda é um tema recém-saído do forno. Mesmo que os avanços já possibilitem mudanças expressivas, muitos produtores ainda são resistentes à adoção de práticas simples, como a coleta e o processamento de dados por meio de um sistema eficiente.

Com a instalação de algumas redes no campo, é possível instituir um sistema completo de monitoramento, além de adotar na lavoura operações mecanizadas e, até mesmo, automáticas. Também existem diversas inovações disponíveis para a otimização da produção, minimizando os prejuízos provocados por pragas e melhorando as condições da colheita, por exemplo.

Mas não para por aí. As colheitas têm se tornado mais saudáveis, e os solos, mais completos e equilibrados; os agricultores estão mais bem informados, e o trabalho no campo vem sendo mais leve. Isso impacta toda a cadeia de suprimentos, afetando não só a produtividade, mas, também, o preço dos produtos.

O melhor é que todas as informações obtidas por meio da inteligência artificial na agricultura são disponibilizadas em tempo real, atribuindo ainda mais agilidade e eficácia aos processos de tomada de decisão. Tudo isso de uma forma absolutamente confiável, já que os dados são processados por algoritmos.

Como a IA é utilizada na agricultura?

O potencial de uso da inteligência artificial na agricultura é imenso. Com o aprendizado de máquina, a tecnologia pode levar as atividades de uma fazenda a uma escala global. Dessa forma, quanto mais dados são fornecidos e processados, mais acuradas serão as previsões geradas pelos algoritmos.

O uso de IA na agricultura tem diversas outras aplicações, como:

  • monitoramento da lavoura: captação de imagens em tempo real por drones e sensores, que atribuem precisão ao controle de pragas e à vistoria das plantações;
  • machine learning: cruzamento de informações para o estabelecimento de padrões que indiquem condições como a nutrição do solo e a disponibilidade de água;
  • previsão meteorológica: predições de incidência de chuva, temperatura, condição dos ventos e assim por diante, com base, principalmente, nos dados locais;
  • veículos autônomos: máquinas agrícolas autodirigíveis, com gestão automática e/ou remota, podendo ser operacionalizadas por funcionários por meio de um smartphone.

A inteligência artificial está tornando as produções mais saudáveis, ajudando a controlar pragas e melhorando a qualidade do solo e as condições de cultivo. Além disso, com ela, o produtor consegue gerar, coletar e analisar dados importantes para gerenciar o trabalho e a cadeia de suprimentos como um todo.

O próprio machine learning coloca a gestão da propriedade rural em um loop de autoaperfeiçoamento, servindo como base para a operacionalização diária das atividades e, consequentemente, para decisões mais rápidas e acertadas. Com o uso de algoritmos, cada vez que um grupo de dados é utilizado, ele pode ser aperfeiçoado a partir de atualizações sobre as condições do campo.

Quais são os benefícios da inteligência artificial para a agricultura?

A inteligência artificial na agricultura está intimamente ligada à eficiência e à sustentabilidade dos negócios rurais. Com o melhor aproveitamento dos recursos disponíveis, além da redução de desperdícios, as fazendas podem se tornar muito mais competitivas ao longo do tempo, enquanto, ainda por cima, minimizam seus impactos ambientais.

Em um contexto que demanda uma intensa produção de alimentos, por exemplo, é preciso pensar constantemente na redução de perdas e na qualidade do que é produzido. Por isso, o uso de tecnologia e, principalmente, de inteligência artificial na agricultura tem muito a acrescentar não só na etapa de cultivo e planejamento, mas, também, no desenvolvimento de estratégias para proteger as plantações contra pragas e doenças.

Nesse novo cenário, as equipes serão cada vez mais preparadas para operacionalizar suas atividades a partir de recursos tecnológicos. Como você viu, os mecanismos para isso vão desde drones até máquinas autônomas, tudo interconectado, gerando dados e informações. Dessa forma, a tendência é de que o trabalho seja cada vez menos manual e mais automatizado.

A tecnologia trouxe enormes transformações para os mais diversos cenários, em todos os setores. Apesar de muitos produtores ainda resistirem às mudanças que ela proporciona, outros tantos estão colhendo vantagens significativas a partir do seu uso. A agricultura 4.0 não é mais uma miragem esperada para o futuro, mas uma realidade que vem sendo implementada a passos largos.