Tratores preparando a terra

Como preparar o solo para ter uma agricultura neutra em carbono?

O solo funciona como um grande reservatório de carbono. Porém, quando o homem o utiliza de maneira intensa, ele acaba liberando parte desse CO2 estocado. É por isso que algumas práticas conservacionistas podem ajudar a frear esse impacto ambiental e ainda servir como uma técnica de neutralização de carbono.
Tratores preparando a terra

O que é a agricultura neutra em carbono?

A neutralização de carbono é uma prática usada para evitar ou mesmo minimizar as consequências provocadas por um uso desequilibrado do solo. Esse tipo de atividade intensiva acaba piorando o efeito estufa, provocado justamente pela emissão de gases poluentes na atmosfera, como o dióxido de carbono.

Quando falamos em agricultura neutra de carbono, na verdade estamos falando de tentar zerar o cálculo da emissão desse gás. Em geral, isso é feito por meio da adoção de práticas que visem realmente diminuir ou anular os impactos negativos das atividades realizadas.

Isso vai desde a forma como a propriedade consome seus recursos, se há desperdício ou não, por exemplo, até o método de manejo de solo que utiliza. Portanto, uma agricultura neutra em carbono é algo que se constrói a partir dos detalhes.

Em alguns casos, ainda é possível adotar algumas medidas de compensação da emissão de resíduos. Nesses casos, o gestor da propriedade pode optar por fazer algumas coisas que contribuem para a reversão dos danos ambientais, como reflorestar algumas áreas ou comprar créditos de carbono, por exemplo.

Por que é importante para frear o aquecimento global?

Em geral, qualquer atividade que realizamos provoca uma determinada emissão de carbono. Seja dirigir o carro até determinado local ou revirar a terra para começar uma nova cultura. Tudo isso contribui para a aceleração do aquecimento global, afinal, libera uma quantidade significativa de gases poluentes na atmosfera.

Acontece que, como somos muitos seres humanos habitando o mesmo planeta, e precisamos de muitos produtores, indústrias, empresas etc., a Terra já não dá conta de se recuperar dos danos provocados por todos e continuar atendendo satisfatoriamente às nossas necessidades. Em outras palavras, tiramos do planeta mais do que ofertamos a ele.

Portanto, frente a tudo isso, é importante que tomemos ações para minimizar e reverter os efeitos negativos daquelas atividades que, de qualquer forma, são indispensáveis — como o cultivo de alimentos. É por isso que adotar a agricultura neutra em carbono é a melhor opção para reduzir os impactos no campo e frear o aquecimento global.

Não podemos reduzir a quantidade de alimento produzido, afinal, precisamos continuar dando conta de atender a população mundial. Em vez disso, é necessário otimizar e tirar o melhor proveito possível das técnicas, tudo isso sem agredir o ecossistema.

Como preparar o solo para uma agricultura neutra em carbono?

Quer saber como fazer a sua parte na redução da emissão de carbono? Então, fique de olho nas dicas que preparamos para você. Vamos lá!

Faça medições

Algumas empresas têm um serviço de cálculo e medição da emissão de carbono para pessoas e organizações (propriedades rurais). Dessa forma, você ainda tem a oportunidade de compensar as emissões em projetos ambientais que são certificados e que utilizam tecnologias limpas.

Melhore a biodiversidade do solo

Melhorar a biodiversidade do solo também é uma forma de contribuir para uma agricultura mais limpa, rica e menos poluente. Isso porque se faz cada vez menos necessário o uso de aditivos que acabam interferindo no equilíbrio do ecossistema, além de prejudicar as próprias culturas que são colocadas ali. Algumas formas de fazer isso são:

  • utilizando cordões de contorno ou cercas vivas que funcionam como barreiras fitossanitárias;
  • adotando o cultivo em faixas, ajudando no equilíbrio ecológico de insetos;
  • usando e mantendo as variedades crioulas;
  • praticando a rotação das culturas de forma racional;
  • explorando os cultivos consorciados, ou seja, o plantio simultâneo de duas ou mais culturas;
  • aplicando a adubação verde, com uma cobertura residual mais estável;
  • fazendo a manutenção de plantas espontâneas;
  • adicionando matéria orgânica.
Tenha um sistema de cultivo adequado

Como você viu, os sistemas de cultivo demasiadamente intensos prejudicam muito o solo e o meio ambiente como um todo. Por isso, é importante adotar um método eficiente, mas que também contribua para a agricultura neutra em carbono, como é o caso do plantio direto.

Como o uso da tecnologia pode ajudar nesse preparo?

A tecnologia tem diversos recursos que podem ajudar nesse sentido. Quanto melhor você conhece o meio ambiente e as suas condições, mais chances tem de responder a elas e se adaptar para obter melhores resultados sem prejudicar a natureza.

Por isso, soluções como o monitoramento de alta precisão e o controle do clima são tão importantes. Hoje, as máquinas e o homem estão aptos para trabalhar em conjunto em prol da proteção ambiental, sem prejudicar a produção de alimentos, por exemplo.

Além disso, é preciso pensar em soluções que, ao mesmo tempo, reduzam as emissões e potencializem a produtividade das fazendas, provocando algumas mudanças profundas no agronegócio. Os sistemas computacionais são uma forma eficiente de fazer isso. A inteligência artificial e a internet das coisas também desempenham um papel importante.

Juntos, todos esses recursos aumentam significativamente a geração de informações de precisão sobre a atividade, o que melhora o poder de decisão do agricultor, reduz expressivamente os desperdícios, aponta soluções mais inteligentes e assim por diante. No fim, a produtividade aumenta, sem necessariamente precisar extrair mais recursos da natureza ou esgotar aqueles que ela já fornece.

Conforme tudo o que você conferiu ao longo deste post, pode perceber que a agricultura neutra em carbono tem a sua importância reafirmada a cada dia, especialmente para reverter os efeitos da degradação do planeta. Por isso, por menor que seja a sua participação no mercado, fazer sua parte é de extrema relevância.

A agricultura neutra de carbono não é apenas uma mudança de práticas e de atuação no campo. É também uma reformulação do modo como as pessoas encaram a atividade.